Eugenio Tavares.org Biografia e Obra    
 
Entrada do Sitio Contactos
 
Eugénio Tavares
Pesquisar EugenioTavares.org Notícias de eventos culturais relativos a Eugénio Tavares A Obra Factos biográficos

A família adoptiva

No seguimento do desaparecimento da sua familia, Eugénio é adoptado por José e Eugénia Martins de Vera Cruz.

José Martins de Vera Cruz nasceu em 1828 e faleceu em 1920 na Ilha Brava.

Diplomado pela escola Médica-Cirúrgica do Funchal, exerceu clínica na Ilha Brava e na Ilha do Sal. Prestou serviço na Guiné onde se distinguiu no combate à cólera e febre amarela. Por tais serviços foi distinguido com o 1º. Grau da Torre e Espada em Junho de 1870.

Foi presidente da Câmara Municipal da Ilha do Sal. Reformado em 1878, no posto de Capitão-Médico, passou a viver na Ilha Brava dedicando ao Povo da Brava e às Causas Públicas todo o resto da sua longa vida.

José Martins de Vera Cruz
(1828-1920)

Presidente da Câmara da Brava e sucessivamente reeleito até 1901, idealizou todas as infraestruturas que deu à Ilha as feições que chegaram aos nossos dias.

Traçou o Jardim da Praça, mais tarde Jardim Eugénio Tavares e as duas avenidas com traços de modernidade invulgar para sua época. A antiga povoação viu realizar o seu grande sonho - transformar a Povoação capital da Ilha em Vila Nova Sintra. Modificou o traçado de várias estradas sobretudo da Furna à Vila.

Cavaleiro da Ordem Militar de São Bento de Aviz, possuía a medalha de Prata da classe de Comportamento Exemplar e ainda a Comenda da Ordem Militar de Nosso Senhor Jesus Cristo. Proprietário, Empresário e Armador dedicou toda a sua vida à causa pública.

* * *  

D. Eugénia Martins da Vera Cruz Medina e Vasconcelos foi a extremosa mãe adoptiva que acompanhou toda a vida do poeta, a quem ele chamava "Badinha".

Senhora de raras virtudes, era viúva do poeta madeirense Servulo de Paula Medina e Vasconcelos, mandado exilar em Cabo Verde por oposição ao Rei de Portugal.

Eugénio Tavares confessou-lhe:

"És a maravilha da Mulher duplamente Mãe; não mais santa mãe do fruto do seu ventre, que no sentimento da sua alma; não mais amorosa mãe dos próprios filhos que mãe sublime dos filhos alheios.

Amo-te ó minha mãe e bendita seja a fonte inexaurida de bondade maternal que emana do teu espírito. Tudo com origem no amor, nada com origem no sangue".

Eugénia Martins da Vera Cruz Medina e Vasconcelos
- a "Badinha"
 
Informações adicionais

 

 

 

Página anterior  Topo  Página seguinte
Biografia  Obra  Contactos  Notícias  Pesquisar
© 2004-2013 Todos os direitos reservados | Eugénio Tavares.org